Tecnologia do Blogger.
RSS

Produção, Direção e Interpretação


Num lento ranger abre-se as cortinas rubras.

Lá estava!
No centro do palco, iluminado pelos projetores amarelados.

Simplesmente complexo...
Tristemente feliz...
Espalhafatosamente normal...
Divinamente profano...
Calmamente inconformado...
Igualmente diferente...
Melancolicamente alegre...
Conformadamente irado...
Solitariamente incluso...
Estranhamente comum...
Lamentavelmente... Humano.

Perante a platéia, a figura encontrava-se desinteressadamente imóvel olhando as pessoas em suas poltronas, assim ela permaneceu tempo suficiente para perceber que seus espectadores esperavam que fizesse algo.
Estupidamente começa a se movimentar desordenadamente, ora andando, ora correndo, ora pulando, ora fazendo mímica. A platéia esperava mais! Mais uma vez. E agora ora cantava, ora falava, ora orava, ora discursava, ora contava piadas. Ainda nada de aprovação, agora ria, chorava, brincava, brigava, pensava.
Por fim a figura pára e olha novamente os espectadores unanimemente desapontados, dá os ombros e se vai.

Nos bastidores a figura liga o som em suas músicas preferidas, come o que tem vontade, faz o que lhe dá prazer. Então já no fim do dia ela se senta em sua escrivaninha e sobre as folhas amareladas planeja o próximo espetáculo onde mais uma vez tentará agradar a toda platéia.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

25 comentários:

Raphael Andrade disse...

Adorei o 3º parágrafo.
E o texto me fez pensar, o quanto temos que nos virar para ser aceitos e receber um simples gesto de aprovação. Aprovado ou não sempre temos que planejar o dia de amanhã.
Abraços
http://jovemandrade.blogspot.com/

Sweet Darling disse...

Realmente, às vezes damos tanto valor ao que os outros acham de nós, que esquecemos o que realmente nos faz bem.
Primeiramente, temos que nos agradar, para depois agradar aos outros.
Belo texto, parabéns.

Anônimo disse...

concordo plenamente com os dois acima.

seu texto é profundo, nos faz refletir. Adorei a mensagem que ele transmite.
Inspirador.

http://brunocontosdeterror.blogspot.com/
PQNOS CONTOS TERROR.



BRUNO WOLFF
ASAS NEGRAS

Arthur D'mello disse...

e assim é a vida, uma eterna representação, apenas na solidão conhecemos nossa verdadeira face, nosso verdadeiro eu.

Jacob disse...

Não podemos mudar a vida, nõa podemos agradar a todos, assim como não queremos agradar a todos, tentamos, lutamos, se não conseguimos, bem, sigue-mos em frente. òtimo o blog, estou seguindo.

http://mentalidadelivre.blogspot.com/

Camila R. disse...

tudo verdade
ótimo texto, nos faz refletir
continue assim!

http://www.pormenorys.com/ disse...

to seguindo vc , bjao

Tereza disse...

Não é possivel agradar a todos, afinal, nem Jesus Cristo conseguio, gostei do texto (y)

Marcelo disse...

Bah que massa esse seu blog...
Achei mto interessante!
Parabéns!

Alice Daniel disse...

A cada um nos mostramos de forma diferente. Os olhos que nos veem trazem inúmeras diferenças de trajeto.
Nada é igual. Não se poder ter de cada espectador a mesma resposta.

Sol Vandort disse...

Primeiramente, ta de parabens o blog.

Acho que acima de tudo temos que agradar a nós mesmos.Agradar os outros é uma consequencia.
Nossa interior tem que ser a nossa principal plateia :)

Carol Oliveira disse...

Em um espetáculo, o objetivo é agradar a plateia.
Na vida, o objetivo é viver para sermos felizes. E para que sejamos felizes, temos que primeiro agradar a nós mesmos.

Luana Bernardes disse...

Isso de tentar agradar a todos por mais que nós não liguemos muito pra isso é algo que realmente sempre me incomodou...
parabéns pelo belo texto!


quando puder, passe por aqui: www.quintotake.blogspot.com

Gui disse...

e assim é a vida, uma eterna representação, apenas na solidão conhecemos nossa verdadeira face, nosso verdadeiro eu. ²

Uma Vela na Varanda disse...

Esther que anda nas nuvens, que surpresa!!!
Uns dias atrás eu disse a você que você pode escolher o tamanho do seu mundo, como a carpa japonesa daquela metáfora.
Fiquei surpreso com o tamanho do mundo que você já tem dentro de si.
Por mais que seus planos sejam práticos, cuide bem da nefelibata, ela é muito criativa e como o mundo precisa disso, vejo aqui um caminho paralelo.
Gostaria que o Flávio visse o que você escreve.

Rafa disse...

Do caralho!

Belissima narração!

http://cemiteriodaspalavrasperdidas.blogspot.com/2010/07/relacao-entre-referencia-e-alusao-com_09.html

Adalberto Mota disse...

Show de mais! Parabéns, muito bom mesmo!!!

'' Lamentavelmente... Humano.''

... disse...

Meu Deus!! Lindo demais!

Patrícia V.S disse...

Gostei do texto*--*
Nem sempre conseguimos conquistar as pessoas, mais isso não é motivo para não tentar novamente não é mesmo?!
apesar dos espectadores desapontados, ela não desiste e começa a planejar outro espetáculo.

É essa determinação que todos deveriam ter ;*

ótimo blog ;D

se quiser visitar o meu:
http://palavrasquememotivam.blogspot.com/

Beijoos

Arnoldo - ar condicionado split disse...

Belo texto!
Sucessos.

' Pry Soares disse...

adorei o texto, e mtas vezes é isso que acontece, mais não da pra agradar todo mundo, certo? ameei, voce escreve super bem

Luiz Brisa disse...

lindo d+
gostei muito
xD

Karla Hack disse...

Já provei desta sensação..
Um misto bem fervilhante de anseidade, dúvida, concentração e dedicação!
Belo texto!
;D

Uma Vela na Varanda disse...

Eu tenho uma espécie de dever, dever de sonhar, de sonhar sempre, pois sendo mais do que um espetáculo de mim mesmo,
eu tenho que ter o melhor espetáculo que posso.

Somos qualquer coisa que se
passa no intervalo de um espetáculo; por vezes, por certas portas, entrevemos o que talvez não seja senão cenário.

Mas tudo é absurdo, e o sonho ainda é o que o é menos.

(Fernando Pessoa em Livro do Desassossego)

Vou mandar para voce um CD da Bethania - Imitação da Vida - onde ela declama esse primeiro paragrafo. Tem outros trechos dele nesse livro que talvez voce goste de ler.

O link é:
http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/vo000008.pdf

William disse...

Ótimo texto. parabéns pelo blog. Já passei por aqui antes e retornei.
Valeu.

Postar um comentário

Diga algo digno de sua inteligência.